Vacinas para adulto

A imunização também deve ser feita em adolescentes e adultos. É importante manter as vacinas em dia.

Vacinas que os adultos devem tomar:

  • Gripe: imuniza contra três cepas do vírus influenza. A gripe traz risco de complicações pulmonares graves. É contraindicada para alérgicos a ovo. A dose anual é oferecida gratuitamente para idosos, gestantes, puérperas (até 40 dias após o parto) e portadores de doenças crônicas;
  • Hepatite A: contraída por meio de água e alimentos contaminados. Causa infecção no fígado. Indicada para adultos que não possuem imunidade contra o vírus, comprovada por exame de sangue, não costuma produzir reações. São duas doses. Na rede pública só para crianças. Para adulto somente em rede privada;
  • Hepatite B: transmitida na relação sexual e pelo contato com sangue contaminado com: agulhas, seringas e instrumentos de manicure mal esterilizados, pode causar infecções crônicas no fígado capaz de evoluir para cirrose e câncer. São três doses, fornecidas nos postos para homens e mulheres até 49 anos;
  • Tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche): inclusão dessa vacina no calendário das gestantes. A tríplice bacteriana protege ainda contra a difteria, doença que ataca as amígdalas e pode causar asfixia, e o tétano, mal que compromete o sistema nervoso central, levando à rigidez muscular. A vacina pode provocar reações locais, como dor, inchaço e vermelhidão. Os adultos devem tomar em clínicas particulares. Na rede pública, encontra-se apenas a dupla bacteriana, contra difteria e tétano, dadas até os 59 anos. Ambas necessitam de reforço a cada dez anos;
  • Tríplice Viral (caxumba, sarampo e rubéola): uma pessoa está imunizada se contraiu a doença ou recebeu duas doses da tríplice viral. Os efeitos adversos são febre e erupções na pele. Adultos podem, ainda, ter dores e inflamações nas articulações. A vacina é aplicada em dose única no serviço público para nascidos a partir de 1960. Na rede privada, são duas doses;
  • Varicela (catapora): caracteriza-se pelo surgimento de bolhas na pele, seguidas de crostas que coçam. Nos adultos, tende a ser mais grave. Gestantes correm o risco até de abortar. A vacina está disponível na rede pública para bebês de 15 meses em formulação tetraviral. Protege contra caxumba, rubéola, sarampo e catapora, doenças causadas por vírus. Quem não teve catapora deve procurar uma clínica particular;
  • HPV: através do sexo, mais de 80% da população entra em contato com o vírus do papiloma humano, que está relacionado ao câncer de colo do útero e a tumores no ânus, na boca, vagina e vulva. A eficácia é maior se tomadas antes do início da vida sexual, mas as adultas podem se proteger contra tipos com os quais não travaram contato. Ocorrem vermelhidão e dor no local da picada. Em 2015 as meninas de 9 a 13 anos forão imunizadas;
  • Doença Meningocócica: a proteção é contra os tipos de meningococo ligados à meningite bacteriana, pois esse é um mal que pode levar á morte. Embora o principal alvo seja a criança, os adolescentes e os adultos também correm o risco de ser afetados durante os surtos da doença;
  • Febre Amarela: deve tomar quem vive em áreas onde a doença é endêmica ou viajará a esses lugares – neste caso, dez dias antes. Gestantes e pessoas com problemas de imunidade precisam de autorização médica. Disponível em postos de saúde, requer reforço a cada dez anos;
  • Pneumonia: indicada para quem já passou dos 60 anos. A antipneumocócica previne essa doença que é causa freqüente de internação e morte de idosos;
  • Herpes-zóster: é oferecida só para idosos. O responsável por esse mal é o vírus da catapora: depois que a pessoa se recupera, a doença pode ficar latente no organismo e voltar a atacar anos mais tarde.

calendário vacinação

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!