Mal de Parkinson

Doença degenerativa do sistema nervoso central, crônica e progressiva.  Embora ela se desenvolva tipicamente após os 65 anos de idade, aproximadamente 15% das pessoas com o problema desenvolvem a doença de Parkinson de início precoce antes de atingirem os 50 anos de idade.

Causa:

As células nervosas usam uma substância química chamada dopamina para ajudar a controlar os movimentos musculares. Quando as células nervosas do cérebro que produzem dopamina são destruídas ocorre o Parkinson lenta e progressivamente. Sem a dopamina, as células nervosas não podem enviar mensagens corretamente. Isso leva à perda da função muscular. A causa exata do desgaste é desconhecida, mas os médicos acreditam que uma mistura de fatores possa estar envolvida:

  • Genética: algumas mutações genéticas parecem aumentar o risco de doença
  • Meio ambiente: a exposição a determinadas toxinas podem aumentar o risco de doença, sendo relativamente pequeno.

Sintomas primários:

  • Tremor: agitação involuntária e rítmica de um membro, da cabeça ou do corpo todo. Frequentemente começa com um tremor ocasional em um dedo, que eventualmente se espalha para o braço todo. O tremor pode afetar somente uma parte ou lado do corpo, especialmente nos primeiros estágios da doença. Nem todas as pessoas com doença têm tremores;
  • Rigidez: dureza ou inflexibilidade dos membros ou juntas. Frequentemente começa nas pernas e no pescoço. A rigidez afeta a maior parte das pessoas. Os músculos tornam-se tensos e contraídos e algumas pessoas poderão sentir dor;
  • Bradicinésia: lentidão de movimento ou ausência de movimento. É um dos sintomas clássicos da doença de Parkinson. Com o tempo, uma pessoa com a doença de Parkinson pode desenvolver uma postura curvada e um andar lento e arrastado. Podem perder sua capacidade de começar e continuar a se mover.
  • Acinésia: “congelamento”, podem não ser capazes de se mover de forma alguma.
  • Instabilidade postural: pode ter uma posição curvada, com a cabeça inclinada e os ombros caídos. Essas pessoas podem desenvolver uma inclinação para frente ou para trás, e podem ter quedas que causam ferimentos. As pessoas com inclinação para trás têm tendência à “retropulsão”, ou caminhar para trás.

Sintomas comuns:

  • Perda expressão facial;
  • Redução do piscar dos olhos;
  • Alterações no discurso;
  •  Aumento da salivação;
  • Visão borrada;
  • Micrografia;
  • Incontinência urinária.

Tratamento: visa apenas amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do indivíduo, uma vez que as células cerebrais não se renovam e por isso nada pode ser feito diante da morte das células produtoras de dopamina. Medicamentos, cirurgias, fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia são algumas das formas de tratamento disponíveis. O Mal de Parkinson não tem cura,  não é fatal, não afeta a memória ou o intelecto e não há evidências de que seja hereditária.

 

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!