Disfunção erétil

Ou impotência sexual masculina: é a dificuldade persistente de obter e/ou manter uma ereção suficiente para permitir uma atividade sexual adequada. Existem três fatores essenciais para o homem atingir uma função erétil satisfatória: ter disposição para a ereção, alcançar uma ereção rígida e manter a ereção por tempo suficiente para a satisfação sexual. Na disfunção erétil, ocorre basicamente o contrário. Quase todos os homens têm alguma dificuldade ocasional, mas conseguem obter e manter uma ereção de qualidade na maioria das vezes. No entanto, se as dificuldades se tornam mais frequentes e as ereções passam a ser menos duradouras, ou ainda se o homem não consegue ter a ereção completa, pode ser que sofra de disfunção erétil.

Causas:

Psicológicas: é causada por nervosismo, ansiedade em relação ao desempenho ou medo de falhar durante a relação sexual. Estes fatores produzem no corpo uma descarga de adrenalina, causando diminuição do fluxo sanguíneo na região do pênis, provocando dificuldade na ereção. Pode durar para sempre: cada insucesso em obter ereção aumenta os níveis de ansiedade associados, o que se transforma em um círculo vicioso difícil de superar sem ajuda. Outros fatores psicológicos incluem estresse, sentimentos de culpa, falta de desejo e depressão. As pessoas acometidas são mais jovens e com depressão ou ansiedade. Pessoas mais velhas também podem ter outras preocupações maiores e sofrer de falta de interesse pelo sexo. Antes de se diagnosticar que a disfunção é de origem psicológica, uma avaliação médica é necessária.

Físicas ou Orgânicas: são causas geralmente relacionadas à má circulação sanguínea, ou insuficiência vascular. O pênis precisa receber um fluxo de sangue adequado para que o homem possa ter ereção. Um fluxo insuficiente pode determinar que a ereção não se mantenha durante a relação sexual e inclusive que esta não se complete. A impotência sexual está relacionada a diversas doenças e tratar a disfunção envolve obrigatoriamente a descoberta de sua causa.

  • Doenças hormonais: diabetes, queda de testosterona , problemas endócrinos;
  • Doenças neurológicas: lesões na medula, mal de Alzheimer e Parkinson;
  • Doenças vasculares, que causam entupimento das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis: hipertensão arterial, aterosclerose;
  • Consumo excessivo de medicamentos;
  • Alcoolismo e tabagismo.

Sintomas:

  • Redução do tamanho e da rigidez peniana;
  • Incapacidade de obter e manter a ereção;
  • Redução dos pelos corporais;
  • Atrofia ou ausência testicular;
  • Pênis deformado
  • Doença vascular periférica;
  • Neuropatia: distúrbio das funções do sistema nervoso.

É importante ressaltar que apenas o envelhecimento não constitui uma causa de disfunção erétil.

Tratamento: visto que diversos fatores podem estar associados a disfunção  erétil , a manipulação do tratamento também irá variar. Médico andrologista deve examinar o que está afetando o fluxo sanguíneo no pênis para verificar se há uma causa médica subjacente que requer tratamento imediato. Atualmente existem diversos métodos e recursos terapêuticos que trazem ao paciente um resultado satisfatório, Terapia Sexual, Sexologia Clínica, acompanhamento médico e psicológico, tratamento medicamentoso e prótese peniana. O médico especialista em sexualidade irá avaliar o melhor método para tratar de vez a disfunção erétil.  Embora muitos medicamentos sejam anunciados para lidar com a  disfunção erétil, incluindo remédios naturais, eles apenas se limitam à solução momentânea. O tratamento realizado em uma clínica de andrologia especializada  permitirá que a impotência sexual  seja tratada completamente, a fim de garantir uma solução permanente para a dificuldade.

 

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!