Arteriosclerose

É um processo de endurecimento, perda de elasticidade e espessamento progressivo das paredes das artérias (endotélio),  induzido pela hipertensão arterial e que acompanha o processo natural de envelhecimento. É caracterizada pelo acumulo de placas de gordura no interior das artérias, que vai ocorrendo com o passar do tempo e pode bloquear o fluxo sanguíneo podendo causar um infarto ou acidente vascular cerebral. Pode se formar também nas artérias que irrigam os rins e outros órgãos vitais.

Causas:

  • Consumo exagerado de alimentos ricos em gordura: como bolos, biscoitos, alimentos industrializados ou processados, aumentando os níveis de colesterol ruim no sangue, que pode se acumular nas paredes das artérias;
  • Sedentarismo: também contribui para o aparecimento de aterosclerose porque a gordura é mais facilmente depositada no interior das artérias;
  • Cigarro: fumar pode danificar as paredes das artérias, fazendo com que fiquem mais estreitas e diminui a capacidade do sangue de transportar oxigênio para o corpo, o que aumenta as chances de um coágulo se formar;
  • Álcool: ingestão excessiva de álcool pode causar hipertensão e aumento dos níveis de colesterol no sangue, aumentando o risco de desenvolvimento de aterosclerose;
  • Predisposição genética: se houver história de aterosclerose na família, há um maior risco de desenvolver;
  • Pressão alta: é uma das causas, porque quando a pressão está alta, as artérias têm que fazer um maior esforço para bombear sangue, o que faz com que as paredes das artérias comecem ficar danificadas;
  • Diabetes: também pode danificar as artérias, devido ao excesso de açúcar no sangue;
  • Obesidade: o excesso de peso faz com que o indivíduo tenha um maior risco de desenvolver aterosclerose, porque o risco de desenvolver pressão alta, diabetes ou colesterol alto é maior.

A aterosclerose é mais frequente em idosos, principalmente do sexo masculino, e pode atingir qualquer vaso sanguíneo. As artérias mais acometidas são as artérias coronárias, a aorta, as artérias cerebrais e as artérias do braços e pernas.

Sintomas: podem ser evidentes, mas, em alguns casos não são percebidos até que o vaso sanguíneo encontre-se totalmente bloqueado, provocando isquemia no órgão em questão

  • Dor no peito ou desconforto: aparece quando o coração não está recebendo sangue ou oxigênio suficientes;
  • Falta de ar e fadiga: quando o indivíduo realiza esforço físico;
  • Dor: também varia de acordo com o local em que acontece o estreitamento das artérias;
  • Dores em pernas ao caminhar: que melhoram com repouso;
  • Queda de pelos nas pernas, pele fria e palidez nos dedos: pode indicar comprometimento de artérias nestes locais;
  • Acidente vascular cerebral: pode ser o primeiro sintoma de aterosclerose carotídea, que também pode apresentar fenômenos transitórios, como tonturas.

Tratamento:

A prevenção para aterosclerose pode ser feita através da prática regular de exercícios e dieta com baixo teor de gordura. Quando a doença já está instalada, deve-se avaliar o grau de comprometimento dos vasos. Dependendo do caso, o médico poderá tratar apenas com medicações orais. Há também a opção cirúrgica.

Os procedimentos cirúrgicos utilizados:

  • Angioplastia e colocação de stent, chamada de intervenção coronariana percutânea (ICP)
  • Cirurgia de revascularização (No coração com pontes de safena ou mamária, nas pernas com vasos da mesma perna e nas carótidas com materiais específicos).

Adotar um estilo de vida mais saudável:

  • Evitar consumir bebidas alcoólicas;
  • Não fumar;
  • Fazer exercício físico pelo menos 30 minutos ao dia;
  • Reduzir o peso;
  • Manter uma dieta equilibrada;
  • Evitar o sal e gorduras.

 

 

 

 

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!