Síndrome Guillain-Barré

É uma doença neurológica grave caracterizada pela inflamação dos nervos e fraqueza muscular, que em alguns casos pode ser fatal. Em 2015, surgiu a suspeita de que o Zika Vírus possa desencadear a Síndrome de Guillain-Barré em pacientes com prévia propensão à doença. O Ministério da Saúde confirmou que a infecção pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré. Geralmente ela é diagnosticada após algumas semanas de uma infecção viral como dengue ou Zika Vírus, por exemplo. É de origem autoimune, que ocorre devido à produção inapropriada de anticorpos contra a bainha de mielina, substância que recobre e protege os nervos periféricos.

Causas: não se conhece a causa específica da síndrome. A síndrome de Guillain-barré tem caráter autoimune. O indivíduo produz auto-anticorpos contra sua própria mielina. Então os nervos acometidos não podem transmitir os sinais que vêm do sistema nervoso central com eficiência, levando a uma perda da habilidade de grupos musculares de responderem aos comandos cerebrais. O cérebro também recebe menos sinais sensitivos do corpo, resultando em inabilidade para sentir o contato com a pele, dor ou calor

Sintomas:

  • Formigamento e perda de sensibilidade nos braços e nas pernas;
  • Dormência;
  • Dor muscular;
  • Dor nas costas, nos quadris e nas coxas;
  • Movimentos descoordenados;
  • Visão turva;
  • Quedas;
  • Dificuldade para mover os músculos do rosto;
  • Contrações musculares;
  • Palpitações no peito, coração acelerado;
  • Alterações da pressão, podendo haver pressão alta ou baixa;
  • Dificuldade para respirar e para engolir;
  • Dificuldade em controlar a urina e as fezes;
  • Medo, ansiedade, desmaio e vertigem.

A fraqueza muscular é o principal sintoma da síndrome de Guillain-Barré. A fraqueza, que pode apresentar diferentes graus de agressividade, geralmente acomete as pernas e se espalha para outros grupos musculares, em direção aos braços, tronco e face. Nos casos mais graves, pode ocorrer a paralisia total dos membros, além de comprometimento dos músculos respiratórios e da face.

Tratamento: Não existe cura. O importante é procurar um neurologista imediatamente se sentir uma fraqueza em suas pernas ou braços que piora num prazo de algumas horas ou dias. Há dois tratamentos que se mostraram eficientes em fazer acelerar a recuperação, e reduzir a severidade da síndrome de Guillain-Barré:

  • Plasmaférese: na qual sangue é retirado do paciente, depois separado em seus componentes: plasma e células. As células do sangue são recolocadas então no corpo. O corpo fabrica mais plasma para compensar o que foi retirado. Ninguém sabe como este tratamento funciona, mas a maioria dos cientistas acredita que a plasmaférese remove as substâncias do plasma (como anticorpos e complemento) que participam do ataque do sistema imune aos nervos periféricos.
  • Infusões de imunoglobulina: as imunoglobulinas são uma mistura de anticorpos produzidos naturalmente pelo sistema imune do corpo. Doses altas de imunoglobulina podem trabalhar bloqueando os anticorpos que contribuem para a doença.

 

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!