Afetividade

Vou mostrar um artigo que meu amigo psicólogo Antônio Carlos Coimbra me mandou.

Afetividade é a capacidade de experimentar sentimentos e emoções. Distinguem-se cinco tipos básicos de vivências afetivas.

Humor: é definido como o tônus afetivo do indivíduo, o estado emocional basal e difuso no qual se encontra a pessoa em determinado momento. É a disposição afetiva de fundo; a representação emocional interna que penetra toda a experiência psíquica, a lente afetiva que dá as vivências do sujeito uma cor particular;

Emoções: são definidas como reações afetivas agudas, momentâneas, desencadeadas por estímulos significativos; ou seja, a emoção é um estado afetivo intenso, de curta duração, originado geralmente como uma reação do indivíduo a certas excitações internas ou externas; conscientes ou inconscientes. Segundo Mira y López, a emoção é uma alteração global da dinâmica pessoal, “um movimento emergente, uma tempestade anímica, que desconcerta, comove e perturba o instável equilíbrio existencial” O humor e a emoção são experiências psíquicas e somáticas ao mesmo tempo, revelando sempre a unidade psicossomática básica do ser humano;

Sentimentos: são estados e configurações afetivas estáveis; em relação às emoções, são mais atenuados em sua intensidade e menos reativos a estímulos passageiros. Kurt Schneider considera os sentimentos como “estados do eu” que não podem ser controlados pela vontade e que são provocados por nossas representações, pelos estímulos exteriores e pelos interiores. Os sentimentos são classificados e ordenados em vários grupos: sentimentos da esfera da tristeza; sentimentos da esfera da alegria; sentimentos da esfera da agressividade; sentimentos associados a atração pelo outro; sentimentos associados ao perigo; sentimentos associados ao tipo narcísico;

Afeto: define-se como a qualidade e o tônus emocional que acompanham uma ideia ou representação mental. Os afetos acoplam-se às ideias, anexando a elas um colorido emocional, ou melhor, afetivo. Em acepção mais ampla, usa-se também o termo afeto para designar, de modo mais específico, qualquer estado de humor, sentimento ou paixão. Afeto é a representação externa da emoção;

Paixão é um estado afetivo extremamente intenso, que domina a atividade psíquica como um todo, captando e dirigindo a atenção e o interesse do indivíduo em uma só direção, inibindo os outros interesses.

Alterações Patológicas da Afetividade: alterações do humor; ansiedade; angústia;  medo; alterações das emoções e dos sentimentos.

Alterações do Humor: Distimia: termo que designa a alteração básica do humor, tanto para a inibição e exaltação; Polarizações: pólo depressivo, pólo maníaco; Hipertimia e hipotimia; Disforia; Puerilidade; Estado de êxtase; Ansiedade/despersonalização.

Ansiedade: estado de humor desconfortável, uma apreensão negativa em relação ao futuro, uma inquietação interna desagradável. Manifestações somáticas (fisiológicas) e psíquicas. Sintomas psíquicos: inquietação; medo difuso; apreensão;   sensação de opressão; preocupações exageradas;     insegurança; irritabilidade; insônia. Sintomas somáticos: taquicardia; palpitações; desconforto respiratório; sudorese fria; formigamentos; anestesiamentos; tensões musculares;   dores; tonturas.

Angústia: relaciona-se diretamente à sensação de aperto no peito e na garganta, de compressão, de sufocamento. Assemelha-se à ansiedade, mas tem uma conotação mais corporal e mais em relação ao passado. Do ponto de vista existencial, a angústia tem um significado mais marcante e pesado.

Medo: caracterizado por referir-se a um objeto mais ou menos preciso, diferindo-se da ansiedade e da angústia por não se referirem a objetos específicos.

Alterações das Emoções e dos Sentimentos:

  • Apatia: é a diminuição da excitabilidade emotiva e afetiva. O paciente torna-se hiporreativo, não conseguindo sentir nada, ocorre principalmente em quadros depressivos;
  • Hipomodulação do afeto: é a incapacidade do paciente de modular a resposta afetiva de acordo com a situação existencial, indicando a rigidez do indivíduo na sua relação com o mundo;
  • Inadequação do afeto: reação completamente incongruente a situações existenciais ou a determinados conteúdos ideativos, revelando desarmonia profunda da vida psíquica;
  • Pobreza de sentimentos;
  • Embotamento afetivo: perda profunda de todo tipo de vivência afetiva. Ao contrário da apatia, que é basicamente subjetiva, o embotamento afetivo é observável;
  • Sentimento de falta de sentimento;
  • Anedonia: É a incapacidade total ou parcial de obter ou sentir prazer com determinadas atividades e experiências da vida. Sintoma central das síndromes depressivas e algumas formas de esquizofrenia. Ocorre, muitas vezes, paralelamente à apatia;
  • Labilidade afetiva: são estados nos quais ocorrem mudanças súbitas e imotivadas do humor, sentimentos e emoções. O indivíduo oscila de forma abrupta, rápida e inesperada de um estado afetivo para outro. Na incontinência afetiva, o indivíduo não consegue conter de forma alguma suas reações afetivas, sendo sempre muito desproporcionais aos estímulos riso e choro patológicos;
  • Ambivalência afetiva: termo usado por Bleuler para descrever sentimentos opostos em relação a um mesmo objeto, sentimentos que ocorrem de modo simultâneos. Ocorre de forma radical e intensa, caracterizando um aspecto psicopatológico fundamental da esquizofrenia.

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!