Delírio

Vou mostrar um artigo que meu amigo psicólogo Antônio Carlos Coimbra me mandou.

Segundo Jaspers, as ideias delirantes ou delírio são juízos patologicamente falseados. Base mórbida – patológica. O delírio é um erro no ajuizar. O doente apresenta uma convicção extraordinária, uma certeza subjetiva praticamente absoluta. A sua crença é total, não colocando em dúvida a veracidade do delírio. É impossível a modificação do delírio pela experiência objetiva, por provas explícitas da realidade, por argumentos lógicos, plausíveis e aparentemente convincentes. É irremovível. O delírio é um juízo falso, o seu conteúdo é impossível. Mesmo em situações plausíveis, a base do delírio é sempre mórbida. O delírio é uma produção antissocial. Trata-se de uma convicção de um homem só. Pode-se dizer que ao produzir o delírio o doente produz a própria “religião, sistema ideológico ou científico.

Vetores: 

  • Convicção;
  • Extensão;
  • Bizarrice;
  • Desorganização;
  • Pressão;
  • Resposta afetiva;
  • Comportamento desviante.

Evolução do Delírio:

  • Estado Pré Delirantes: também chamado de Humor Delirante. Nesse período o paciente apresenta/experimenta aflição, ansiedade intensa, vivências terroríficas e de ruína. Sensação de perplexidade, de fim do mundo, de estranheza. Termina com a compreensão do delírio, um entendimento profundo descoberto.
  • Delírio Primário: o verdadeiro delírio é um processo primário. Por isso: é psicologicamente incompreensível, impenetrável, é algo inteiramente novo, seguem portanto, as Leis de Jaspers.
  • Delírio Secundário – Deliróide: não se origina de uma alteração primária do pensamento. Origina-se de uma alteração profunda em outras áreas da atividade mental, que indiretamente fazem com que se produzam juízos falsos. Ex: delírios de ruína, grandiosidade.

Estruturalmente: delírios simples: tema único; delírios complexos: múltiplos temas; delírios não sistematizados: pouca associação, frágil estrutura , instáveis; delírios sistematizados: bem organizados, com histórias ricas, se mantêm com o tempo em estruturação

Curso:

  • Agudo: surgem de forma rápida e podem desaparecer rapidamente; fugazes;
  • Crônico: surgem de forma insidiosa, mas persistentes, com longa duração e estruturação lenta, pouco modificáveis.

Mecanismos Constitutivos: deve-se pensar no delírio como uma construção; uma construção inserida num processo de tentativa de reorganização do funcionamento mental. Seus mecanismos formadores são multifatoriais. Estão envolvidos: interpretação, intuição, imaginação, afetividade, memória, consciência, senso-percepção, percepção.

Mecanismo de manutenção:

  • Inércia;
  • Pobreza na comunicação interpessoal;
  • Comportamento agressivo.

Novas interpretação delirantes: conteúdos frequentes: Delírio paranóide; Delírio de referência; Delírio de relação; Delírio de influência; Delírio de fraqueza; Delírio religioso; Delírio de ciúmes; Delírio erotomaníaco; Delírio de negação órgãos; Delírio cenestopático; Delírio de infestação; Delírio mitomaníaco.

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!