Gripe Influenza A H1N1

O H1N1 chegou mais cedo este ano em São Paulo e com muitos casos do tipo mais grave. O estado já vive um surto com 157 casos e 23 mortes por complicações respiratórias provocadas pelo H1N1, um dos três subtipos do vírus Influenza, até o meio de março. A informação é do Jornal Nacional. Na rede pública, a vacinação está prevista para o período de 30 abril a 20 de maio. No entanto, em diversas clínicas particulares, a vacina trivalente e a quadrivalente já estão disponíveis, em dose única, e custam em torno de 100 reais.

O que é:

É uma doença causada por uma das mutações (geralmente H1N1) do vírus Influenza A. Portanto, é um vírus novo, com material genético desconhecido para o sistema imunológico das pessoas. Este novo vírus surgiu devido a uma grande variação antigênica do vírus Influenza. O período de incubação varia de 3 a 5 dias. A transmissão pode ocorrer antes de aparecerem os sintomas. Pode demorar de um a sete dias para ser capaz de transmiti-lo a outras pessoas. A gripe suína é altamente contagiosa.

Causas:

Ela se dá pelo contato direto com os animais ou com objetos contaminados e de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre da mesma forma que a gripe comum, ou seja, por meio de secreções respiratórias, como gotículas de saliva, tosse ou espirro, principalmente.

Existem alguns grupos de risco, que, em caso de contaminação com a gripe, podem apresentar complicações do quadro, como a pneumonia (causa das mortes), pela fragilidade do sistema imunológico. São eles:

  • Idosos;
  • Crianças;
  • Pessoas com problemas respiratórios, como bronquite;
  • Pacientes em tratamento de câncer;
  • Doentes crônicos: cardíacos, diabéticos, hipertensos, pessoas com insuficiência renal.

Sintomas:

  • Febre acima de 38°;
  • Tosse seca;
  • Tremores;
  • Frio intenso;
  • Mal-estar;
  • Dor de cabeça;
  • Dores musculares;
  • Falta de ar;
  • Espirros;
  • Dor de Garganta;
  • Fraqueza;
  • Coriza;
  • Congestão nasal;
  • Náuseas e vômitos;
  • Cansaço;
  • Rouquidão;
  • Hiperemia conjuntival;
  • Diarreia.

Tratamento: Todo e qualquer tratamento deve ser realizado após orientações médicas e neste caso não é diferente. Não se deve automedicar, isso pode atrapalhar e causar até a morte do paciente. Com o resultado da confirmação da doença, o paciente irá tratar com medicamentos passados pelo médico e também com os cuidados básicos para evitar o contágio, como o uso de máscaras até a cura da doença. A vacinação é aplicada anualmente em todo o Brasil, a vacina é gratuita.

Como prevenir a transmissão da gripe suína:

  • Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável;
  • Lavar as mãos frequentemente com sabão líquido e água, ou álcool em gel, principalmente depois de tossir e espirrar;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca;
  • Evitar contato próximo com alguém com gripe suína, se possível;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Durma bem;
  • Faça exercícios físicos regularmente;
  • Tente diminuir o estresse;
  • Beba bastante líquido;
  • Tenha uma dieta balanceada e saudável;
  • Não frequente áreas aglomeradas caso haja uma epidemia de gripe suína na sua região;
  • Não usar medicamentos sem orientação médica;
  • Procure um médico se apresentar sintomas de gripe.

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!