Relação abusiva

A relação abusiva pode variar desde o abuso emocional, verbal, até o físico e sexual. Frequentemente uma pessoa abusiva emocionalmente é também abusiva verbalmente ou uma combinação de todos. Sinais de uma pessoa abusiva podem usualmente ser encontrados depois de alguns momentos no início da relação. A psicóloga e psicanalista Daniela André Martins, explica que o relacionamento abusivo se refere à qualquer relação em que exista um indivíduo em posição de poder, que subjuga o outro. O comportamento abusivo diferente do que a maioria das pessoas acredita, não se refere apenas a casais, tampouco apenas ao público feminino: “Podem ocorrer em todas as relações como por exemplo: entre pais  e filhos, amigos, colegas de trabalho e familiares. São relacionamentos que causam muito sofrimento e angústia, desencadeando diversos males, que são extremamente nocivos a  quem é subjugado.”

Sinais que podem ajudar a identificar uma relação abusiva:

  • Rápido envolvimento;
  • Mudanças de humor: seu humor muda de agressivo e abusivo para uma aparência humilde, desculpando-se e tornando-se amoroso/a depois que o abuso aconteceu;
  • Ciúme extremo: é ciumento/a de sua família, de seus amigos, e colegas de trabalho. Tenta isolar você;
  • História de espancamento passado;
  • Manipulação: o abusador/agressor lhe diz que você é louca/o ou estúpida/o de modo que a culpa caia sobre você. Ele tenta fazer você pensar que o que ele/ela faz é sua culpa;
  • Quebrar objetos numa briga;
  • Controlador: uma pessoa abusiva exige abertamente que seu tempo e você sejam o centro de sua atenção. A pessoa controla as finanças, o carro, e as atividades que praticam juntos. Torna-se raivoso/a quando você começa a mostrar sinais de independência ou força;
  • Superioridade: a pessoa abusiva sempre está certa, tem que ganhar sempre ou estar no comando. Ela sempre justifica suas ações de modo a estar sempre “certa” para você e os outros. Um abusador/agressor irá falar de cima para baixo com você e te xingará, a fim de sentir-se melhor. O alvo dele é fazer você sentir-se fraca/o de modo que ele/ela possa ter poder. Abusadores são frequentemente inseguros e seu poder faz com que se sintam melhor a respeito de si mesmos.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas:

  • Emocionais e afetivas: insegurança e incerteza diante do que virá, medo de ficar desamparado (a), medo de reações provenientes do parceiro, crença de que o parceiro poderá mudar as atitudes e “ser uma boa pessoa”, medo de ficar sozinho (a), crença de que não conseguirá se restabelecer e seguir em frente;
  • Questões legais e jurídicas: desgaste relacionado ao tempo e à burocracia, falta de conhecimento por parte das vítimas sobre o que ocorre entre a denúncia e a sentença;
  • Sociais: a relação abusiva pode ter isolado a vítima e a mesma pode estar distante dos seus familiares e amigos;
  • Econômicas: principalmente quando a vítima depende do parceiro.

Como lidar com relacionamento abusivo:

  • Procure ajuda: uma vez que perceba que está em uma relação abusiva, deve procurar ajuda de outras pessoas para ter um suporte e conseguir sair dessa e se reerguer;
  • Seja cauteloso(a): é essencial tomar cuidado para que o agressor(a) não perceba que quer deixa-lo(a), por isso poderia causar uma crise e fazer com que o agressor(a) ataque ou lhe cause algum outro mal;
  • Invista na autoestima: é preciso que esteja forte e seguro de si. Deve batalhar primeiro pela recuperação da sua autoestima que foi minada pelos contínuos abusos. O primeiro passo é deixar de levar a sério as críticas, impedindo a destruição da sua imagem. Procure se valorizar, percebendo suas qualidades e seus atributos positivos;
  • Termine a relação: esse é o passo mais difícil, porém, o mais libertador. Ame a sua vida e a si mesmo. Saiba discernir o que é bom para você e o que faz mal.  Faça  as escolhas certas para sua felicidade e bem-estar.

 

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!