A mãe do novo milênio

Como diz o ditado: Quando nasce um bebê, nasce junto uma mãe. E é isso mesmo que acontece. Parece que a mulher de antes não existe mais, ela dá lugar a um novo ser que precisa defender a sua cria. É instinto puro e simples. Mas depois de tanta transformação, como retornar à antiga vida? Nossa sociedade tem pressa. Todos querem que a mãe volte a ser a mesma de antes, que emagreça, volte ao trabalho, se mostre esplêndida. O mundo poderá se transformar, mas necessitaremos sempre de nove meses para gerar, de outros nove para que comecem a se deslocar com autonomia e de longuíssimos anos para que sejam capazes de enfrentar o mundo sem a ajuda dos pais. E esses “longuíssimos anos” acabam logo. Assim como os famosos quatro (em alguns lugares seis) meses de licença-maternidade, que chegam ao fim para levar a mulher de volta ao trabalho. Mas esse retorno nem sempre é uma benção. Pelo preconceito velado que sofrem na maioria das empresas, muitas mães caminham frustradas, carregando a maternidade como um fardo e culpando-se por estarem terceirizando os cuidados com os filhos enquanto trabalham em rotinas estressantes. Mas vale lembrar que a culpa não é boa companhia nesse momento. É importante notar que, além da questão financeira, que vai permitir o sustento da criança, trabalhar pode ser realizador para a mulher, salientamos que a quantidade não necessariamente equivale a qualidade. Não é a quantidade de horas com o bebê ou o volume de trabalho que determinam a qualidade da relação ou da realização. Mas como as mães têm enfrentado essa situação? É possível encontrar o equilíbrio. Entretanto para que isso ocorra é necessário que se siga algumas dicas para levar de forma saudável as duas áreas da vida. A mulher vem a cada dia assumindo diversos papéis, e isso é positivo, desde que ela saiba lidar com a responsabilidade e qualidade de fazer diversas coisas ao mesmo tempo. Dicas da psicóloga Daniela S. Santos:

  • Crie um cardápio que facilite sua semana, pois ficará mais fácil e produtivo segui-lo no decorrer dos dias;
  • Elabore uma rotina de dias aos quais irá passar, lavar roupas, ou realizar outras tarefas;
  • O trabalho fora de casa, acaba desgastando, mas é importante que se programe, que seja por 10 minutos ao chegar em casa, e brincar ou conversar com seu filho, parece pouco tempo, mas ele irá valorizar a importância dele em sua vida;
  • Assim como a mulher moderna trabalha fora, o marido também. Juntos estabeleçam tarefas que possa ajudar um ao outro, bem como à família;
  • Ao deixar seu filho na escola, não se culpe, é necessário para o crescimento dele, e em troca você terá uma criança sorridente cheia de notícias ao chegar da escola;
  • Quando você estiver organizando sua rotina, estabeleça um tempo que será dedicado à você.

Hábitos se tornam rotina. Agir da mesma forma te levará ao resultado que já conhece. Experimente essas ferramentas básicas, e obterá resultado mais prazeroso e feliz!!!

Então para que sua empresa ou carreira cresça e sua vida pessoal seja mais feliz, delegue: as tarefas de casa, as da empresa que não precisam diretamente de você, as da escola de seus filhos que são responsabilidade dela, você não é a Mulher Maravilha.

Até porque, juntamente com a carreira profissional ou os projetos pessoais lembra-se que você é mãe, existe nesse contexto uma criança que carece de atenção, cuidado e principalmente muito amor. E esse amor só você poderá oferecer. Não queira acumular todo o trabalho para si, pois, se não conseguir, se sentirá frustrada.

Conduzir o tempo é fundamental para conciliar a vida de mãe e profissional. Pensamos fixamente no tempo que temos à disposição, porque temos muitos assuntos para resolver. A questão aqui é diferenciar o que é verdadeiramente importante do que é urgente, estabelecendo prioridades e delegando quando for preciso. Uma forma prática de fazer isso é organizar o seu dia em blocos. E isso já é algo comum para as mães dessa geração que cresceu e se acostumou em ser independente. Não que as mães de uns anos atrás não tinham esse tipo de preocupação, cuidar dos filhos, da casa, trabalhar e ainda arrumar um tempo para elas próprias são tarefas e funções que sempre existiram. Acontece que em um mundo onde tudo parece acontecer de forma tão rápida, essa nova geração se adaptou a uma rotina diferenciada, onde o acúmulo de funções se tornou algo presente em seu dia a dia.

Atualmente, as mulheres podem e fazem todas essas coisas ao mesmo tempo, e provavelmente esse seja o grande mérito delas, serem capazes de conciliar tudo de forma tão perfeita. Claro que isso não é algo simples, mas com organização e dedicação se torna completamente possível. Os exemplos podemos achar a todo momento.

Por fim, é efetivo que delegue funções quando se sentir sobrecarregada. Peça auxílio às pessoas próximas ou a seu companheiro. Para muitas mulheres, incumbir uma tarefa a alguém é desafiador, pois significa admitir que o outro faça algo de que não damos conta. Se não delegamos, nos cansamos demais e reclamamos. Mas ao evitarmos dividir o peso em uma relação, isso pode acabar criando uma situação desconfortável. Permita-se receber ajuda quando necessário. Uma relação de companheirismo, seja no casamento ou trabalho, passa diretamente por isso, em visualizar no outro, no parceiro, capacidade suficiente para te auxiliar quando for preciso, exatamente como deve acontecer do outro lado da relação.

Fonte: Revista Tempos Modernos

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!