Vitiligo

A doença é caracterizada por lesões cutâneas de hipopigmentação, ou seja, manchas brancas na pele com uma distribuição característica.  O tamanho das manchas é variável. A maioria dos pacientes de vitiligo não manifesta qualquer sintoma além do surgimento de manchas brancas na pele. Em alguns casos, os pacientes relatam sentir sensibilidade e  dor na área afetada.

Pode ser dividido em dois grupos:

  • Vitiligo localizado: uma ou mais manchas podem surgir em, pelo menos, três partes do corpo, com evolução rápida, seguida de estabilização. Pode ser classificado como: segmentar: é caracterizado por manchas do formato de faixas e unilaterais; focal: é o tipo em que aparecem manchas em duas ou três partes do corpo, como mãos, axilas, pés e pálpebras; mucosas: aparece somente em lábios e na região genital.
  • Vitiligo generalizado: as manchas são simétricas, acometendo os mesmos locais e em ambos os lados do corpo. Pode evoluir rápida ou lentamente.

O risco de contágio por contato é nulo. A doença atinge cerca de 1% da população e, em 30% dos casos, existe um histórico familiar.

Causas:  são desconhecidas, mas existem algumas teorias. Em torno de 20 a 30% das pessoas que desenvolvem esta doença possuem histórico familiar. O estresse pode desencadear o aparecimento de manchas brancas sobre a pele, um bom gerenciamento do estresse é essencial para a prevenção e terapia do vitiligo.

Sintomas: se caracteriza por manchas brancas envoltas por uma borda hiper-pigmentada. No vitiligo generalizado geralmente as manchas aparecem nas axilas, no dorso das mãos, no rosto (geralmente ao redor da boca, olhos, nariz), juntas (joelhos, cotovelos, juntas dos dedos) e genitais. Também podem aparecer em áreas com lesões, principalmente em áreas de atrito como pescoço, ombros e pulsos. Sua extensão varia de pessoa para pessoa, elas podem ser isoladas ou podem cobrir uma grande parte do corpo. Aproximadamente 10 a 20% das pessoas com vitiligo vivenciam a repigmentação espontânea de algumas áreas.

Tratamento: dentre as opções terapêuticas está o uso de medicamentos que induzem a repigmentação das regiões afetadas. Também pode-se empregar tecnologias como o laser, bem como técnicas de cirúrgicas ou de transplante de melanócitos. O tratamento do vitiligo é individualizado, e os resultados podem variar consideravelmente entre um paciente e outro.  Por isso, somente um profissional qualificado pode indicar a melhor opção. É importante lembrar que a doença pode ter um excelente controle com a terapêutica adequada e repigmentar completamente, sem nenhuma diferenciação de cor.

Dieta aconselhada:

  •  Alimentos ricos em fibra;
  • Alimentos ricos em ômega 3;
  • Alimentos ricos em ácido fólico;
  • Alimentos ricos em zinco;
  • Cereais integrais;
  • Frutas e vegetais frescos;
  • Peixe fresco;
  • Leguminosas, soja, tofu;
  • Cogumelos;
  • Alimentos ricos em vitamina B12;
  • Alimentos ricos em vitamina C.

Evitar:

  • Alimentos processados;
  • Alimentos com gorduras;
  • Alimentos que provoquem alergias;
  • Frituras;
  • Produtos defumados;
  • Açúcar branco;
  • Demasiada carne, especialmente a carne suína.

O mais importante na alimentação de pessoas com vitiligo é adotar uma alimentação baseada em comidas que contenham um aminoácido que é precursor da melanina chamado de fenilamina, que pode ser encontrada em alimentos ricos em proteínas  como a carne bovina, ovos, frutos do mar, feijão, leite desnatado, gergelim, abóbora e nozes. Outro cuidado que os portadores deve ter com a alimentação é consumir alimentos que sejam ricos em Vitamina A que é  rica em betacaroteno responsável pela manutenção saudável e pela pigmentação da camada mais externa do epitélio no corpo humano. Por isso, a ingestão de  vegetais verdes, óleo de fígado de peixe,  ovos, iogurtes, queijos, cenouras entre outros, são benéficos ao portador de vitiligo.

Dicas:

  • É necessário se proteger do sol, utilizar protetor solar adequado, para evitar o bronzeamento e diminuir o contraste. Além de se proteger dos efeitos maléficos dos raios solares, pois a pele fica desprotegida sem melanina;
  • O uso de maquiagem pode ajudar a disfarçar as manchas;
  • Não é necessário evitar o contato, pois não é uma doença contagiosa;
  • Os problemas estéticos podem afetar emocionalmente, portanto é importante o acompanhamento psicológico;
  • É recomendado fazer exames de triagem de doenças autoimunes;
  • O estresse pode desencadear o aparecimento de manchas brancas sobre a pele, um bom gerenciamento do estresse é essencial para a prevenção e terapia do vitiligo.

 

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!