O que é alimentação funcional?

Seguindo a necessidade atual da sociedade, em equilibrar a correria do dia a dia com uma melhor qualidade de vida, um método alimentar ganha cada vez mais notoriedade e adeptos no mundo: a alimentação funcional, que aborda e previne complexas disfunções crônicas. Criada, em 1990, pelo médico Jeffrey Bland, idealizador do Instituto para Medicina Funcional, nos EUA, a nutrição funcional chegou ao Brasil em 2003 e consiste na interação entre todos os sistemas do corpo, incluindo as relações que existem entre o funcionamento físico e aspectos psicológicos, através de um olhar específico sobre cada pessoa.

Principais alimentos funcionais: as classificações foram feitas segundo fontes do Ministério da Saúde, conheça alguns:

  • Isoflavonas: têm ação estrogênica, ajudando nos sintomas da menopausa, prevenindo câncer e também reduzindo níveis de colesterol. Presente na soja e derivados. Ideal consumir de 25 a 60 gramas por dia;
  • Flavonoides: atividade anti-câncer, vasodilatadora, anti-inflamatória e antioxidante. Estão na soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja;
  • Ácido graxos ômega 3: estimulam o sistema imunológico, têm ação anti-inflamatória, importante no desenvolvimento do cérebro. Encontrados nos peixes, principalmente de águas frias;
  • Fibras solúveis e insolúveis: reduzem o risco de câncer de cólon e melhoram o funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade, pois dão maior saciedade. Presente nos cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo; leguminosas como soja, feijão, ervilha; hortaliças com talos e frutas com casca;
  • Ácido a-linolênico: importante parte da alimentação funcional que estimula o sistema imunológico e tem ação anti-inflamatória. Encontramos no óleo de linhaça, soja, nozes e amêndoas.

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!