De volta às aulas

Entre as várias preocupações de quem tem filhos pequenos e adolescentes, uma das maiores talvez seja a escolha da instituição de ensino. Em tempos de dificuldades econômicas essa busca pode ser ainda mais desafiadora.  Um critério fundamental e que pode facilitar na hora da escolha é conhecer a linha pedagógica oferecida pela instituição. Por meio dela é possível entender o que o colégio usa como base para seu ensino e como lida com a individualidade da criança.

  • Construtiva: a proposta foi criada a partir das ideias de Jean Piaget. Procura instigar a curiosidade, pois o aluno é levado a encontrar as respostas a partir de seus próprios conhecimentos e de sua interação com a realidade e com os colegas. O construtivismo não considera o erro um tropeço, mas uma oportunidade. A teoria condena a rigidez nos procedimentos de ensino, as avaliações padronizadas e a utilização de material didático demasiadamente estranho ao universo pessoal do aluno.
  • Tradicional: o objetivo principal deste método era universalizar o acesso do indivíduo ao conhecimento. Com seu modelo firmado e certa resistência em aceitar inovações, nas décadas de 1960 e 1970 foi considerado ultrapassado. As escolas que adotam a linha tradicional acreditam que a formação de um aluno crítico e criativo depende justamente da bagagem de informação adquirida e do domínio dos conhecimentos consolidados. As avaliações são periódicas, por meio de provas, e medem a quantidade de informação que o aluno conseguiu absorver. São escolas que preparam seus alunos para o vestibular desde o início do currículo escolar e enfatizam que não há como formar um aluno questionador sem uma base sólida, rígida e normativa de informação.
  • Montessoriana: criada pela pedagoga italiana Maria Montessori, a linha montessoriana valoriza a educação pelos sentidos e pelo movimento, para estimular a concentração e as percepções sensório-motoras da criança. O método parte da ideia de que a criança é dotada de infinitas potencialidades. Individualidade, atividade e liberdade do aluno são as bases da teoria, com ênfase para o conceito de indivíduo como sujeito e objeto do ensino, simultaneamente. As escolas montessorianas incentivam seus alunos a desenvolver um senso de responsabilidade pelo próprio aprendizado e a adquirir autoconfiança.
  • Waldorf: presente no mundo inteiro, essa norma foi criada em 1919, n Alemanha. Seu ensino teórico é sempre acompanhado pelo prático, com grande enfoque nas atividades corporais, artísticas e artesanais, de acordo com a idade dos estudantes. O foco principal da pedagogia Waldorf é o de desenvolver seres humanos capazes de darem sentido e direção às suas vidas. Tanto o aprimoramento cognitivo como o amadurecimento emocional e a capacidade volitiva recebem igual atenção no dia a dia da escola. Nessa concepção, a ideia é que a turma seja acompanhada por um mesmo professor durante vários anos e que cada um aprenda de uma forma mais lúdica e de acordo com seu ritmo intelectual, cultivando a ciência, a arte e os valores morais e espirituais necessários ao ser humano.

 

Fonte: Revista Weekend

 

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!