Check-up básico do homem

Como diz  o ditado, prevenir é melhor que remediar. Isso vale principalmente para a saúde. “Identificar os principais fatores de risco para algumas doenças por meio da história clínica do paciente e de exames físicos e laboratoriais pode fazer toda a diferença entre o sucesso e o fracasso do tratamento”, diz o Dr. Rafael Fraga, cardiologista.”Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão do Ministério da Saúde, são diagnosticados no Brasil cerca de 60 mil novos casos anuais de câncer de próstata”, revela a Dra. Mônica Freire, diretora-médica de análises clínicas do laboratório. Se detectado precocemente, o câncer de próstata – glândula sexual masculina, situada em torno da uretra, que produz o esperma, no entanto, pode ser menos nocivo ao organismo. Há, ainda, que se considerar os problemas cardiológicos, que também ameaçam a saúde do homem. “Muitas vezes, as doenças cardiovasculares são silenciosas e assintomáticas. Mas hoje, com métodos melhores de avaliação, podem ser diagnosticadas precocemente e, assim, tratadas com mais eficiência”, afirma a Dra. Marly Uellendahl, cardiologista que integra o corpo clínico do laboratório.

Por esses e outros motivos, o homem deveria mudar o comportamento em relação à prevenção de doenças. “A mulher vive, em média, dois anos a mais que ele porque tem o hábito de cuidar da saúde desde cedo”, diz Leonardo Kayat Bittencourt, radiologista que integra o corpo clínico do laboratório. Desde a adolescência, ela frequenta um ginecologista. E o homem deveria procurar um clínico geral ou um urologista uma vez por ano, na fase adulta. “Veja os exames preventivos em cada idade:

Aos 20 anos

A necessidade e a periodicidade de exames preventivos devem levar em conta fatores de risco como tabagismo, sedentarismo, alcoolismo, hábitos alimentares e histórico familiar de doença. “Dependendo desses fatores de riscos individuais, homens entre 20 e 40 anos devem fazer uma avaliação com intervalo de um a três anos”, diz Dr. Rafael Fraga, cardiologista que recomenda os seguintes exames para essa fase:

  • Avaliação de glicemia: exame de sangue, que determina o nível de açúcar no organismo. Importante diagnosticar diabetes, doença que pode ser controlada se descoberta precocemente;
  • Hemograma completo: exame de sangue que avalia os glóbulos brancos e vermelhos. Identifica ou leva à suspeita de doenças como anemia, infecções, insuficiência renal e pulmonar, além de deficiência de ferro ou vitamina B12;
  • Palpação da bolsa testicular: assim como a mulher faz o toque de mamas, o homem deveria fazer o mesmo com os testículos, à procura de nódulos. “Evidentemente, isso poderá ser feito, ainda, pelo médico durante a consulta anual. Esse hábito é uma forma eficaz de detectar precocemente o câncer testicular, com chances de cura que atingem entre 95% e 99% dos casos”, revela o radiologista Leonardo;
  • Perfil lipídico: também conhecido como exame de colesterol total, avalia, a partir de uma amostra de sangue, após um período de jejum de 12 horas, os níveis de colesterol e triglicérides no organismo. Ajuda a determinar o risco de arteriosclerose (obstrução das artérias por formação de placas de gordura), prevenindo doenças do coração e Acidente Vascular Cerebral (AVC);
  • Urina: análise de amostra da urina com o objetivo de diagnosticar problemas que afetam os rins, como insuficiência renal, e o sistema urinário em geral, como infecções. O tipo 1 ou EAS, o mais simples dos exames de urina, detecta a presença de sangue, glicose ou outros elementos que indicam algum tipo de problema.

Aos 30 anos

O homem está no auge de sua produtividade. Portanto, passa a conviver mais intensamente com outro vilão da vida moderna: o estresse, que, em excesso, pode conspirar contra órgãos vitais, como o coração. A partir dessa faixa etária, outros exames podem ser pedidos pelo médico, uma vez por ano:

  • Eletrocardiograma: análise dos impulsos elétricos do coração. Determina se o ritmo e a intensidade desses impulsos estão normais, para descartar doenças cardíacas;
  • Raio X de tórax: avalia se o coração e o pulmão, além de ossos e vasos sanguíneos da região, estão em condições normais. Essencial para quem fuma, por exemplo;
  • Teste ergométrico: avalia a saúde do coração. O teste começa com uma caminhada leve na esteira, evoluindo o grau da dificuldade de esforço, que pode chegar a uma corrida mais intensa. Registra, os batimentos cardíacos, que podem sugerir a obstrução de artérias coronarianas e arritmias, além de alterações elétricas que causam as modificações no ritmo das batidas do coração. Se não forem diagnosticadas precocemente, as arritmias podem provocar parada cardíaca. Durante esse teste, também é avaliada a pressão arterial durante o esforço.

Aos 40 anos

Hora de começar a investigar melhor os órgãos da cavidade abdominal, a audição e, principalmente, a próstata. A partir dessa faixa etária, as doenças que afetam essa glândula sexual masculina tornam-se mais frequentes – não só o câncer, mas também as inflamações ou infecções que causam desconforto ao urinar, entre outros problemas. A partir dos 45 anos, são 24 milhões de brasileiros que precisam iniciar a investigação da próstata. Exames que são feitos a partir dessa idade:

  • Audiometria: avalia a capacidade de ouvir, determinando, o grau e o tipo de perda auditiva. O exame é feito em uma cabine acústica e pede a utilização de um fone de ouvido, acoplado a um microfone. O examinado ouvirá sons emitidos pelo examinador e deverá responder a eles com sinais gestuais previamente determinados. Em caso de perda auditiva, ajuda a determinar a necessidade do uso de aparelho auditivo;
  • Toque retal da próstata: palpação indolor da glândula, através do reto, para avaliar a consistência da mesma e pesquisar a presença de nodulações;
  • PSA: exame de sangue que detecta a variação do Antígeno Prostático Específico (sigla PSA, em inglês). O aumento dessa substância significa alteração celular na próstata. “Isso, porém, não é um diagnóstico de câncer, que só pode ser constatado por meio de biopsia”, lembra Dr. Leonardo radiologista;
  • Ressonância magnética multiparamétrica da próstata: deve ser feita caso o toque ou o PSA indicarem alteração de próstata. Trata-se de um exame de imagens que dá uma ideia mais precisa do problema nessa glândula, podendo até descartar a biópsia;
  • Ultrassonografia de Abdômen: análise, por meio de imagens, das estruturas e dos órgãos localizados na cavidade abdominal, como artérias, fígado, baço, pâncreas, rins e bexiga. Identifica vários problemas, como pedras nos rins, tumores e danos nas estruturas citadas.

Aos 50 anos

O organismo já sofre mais com o desgaste natural provocado pelo passar dos anos. Portanto, é preciso redobrar os cuidados. “A partir dessa faixa etária, todos os exames indicados desde os 20 anos devem ser feitos anualmente”, diz o cardiologista Dr. Rafael Fraga. É preciso também prevenir câncer de cólon e reto. Exames que podem ser pedidos nessa fase:

  • Colonoscopia: permite a visualização do reto e do cólon através de um tubo flexível, contendo na extremidade uma minicâmera, introduzindo pelo ânus. Pede a sedação do paciente. Deve ser feito a cada cinco anos e pode ser substituído pela colonoscopia virtual por tomografia, de acordo com o critério médico que solicita o exame.
  • Colonoscopia virtual por tomografia: exame de imagem, por meio de uma tomografia computadorizada, com o mesmo objetivo da colonoscopia convencional. Tem a vantagem de dispensar a introdução do tubo flexível no ânus e a sedação. O tempo do exame é de cerca de 15 minutos – e o custo é geralmente mais barato. Exige, porém, um preparo prévio mais cuidadoso, com medicações laxativas e dieta.

 

Fonte: Delboni Auriemo – Medicina Diagnóstica

 

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!