Por uma vida longa e com saúde

A população brasileira está envelhecendo e isso é fato! O número de pessoas acima de 65 anos deve quadruplicar até 2060 – segundo estimativas e projeções divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), passando de 14,9 milhões de idosos para 58,4 milhões. Segundo especialistas, a tecnologia e os avanços na medicina, assim como uma maior conscientização sobre promover cuidados e prevenir doenças, são as principais armas na luta em prol dos anos a mais.

Boas dicas para envelhecer com vitalidade e esbanjando saúde.

Cuide da dieta:

  • Aprenda a selecionar os alimentos: depois de estudar por mais de uma década o poder dos alimentos, o médico americano Dr. Michael Roizen, concluiu que alguns rejuvenescem e outros envelhecem o organismo. A soja, por exemplo, é ótima aliada. Consumida três vezes por semana a partir de 40 anos, ajuda as mulheres a manter os níveis de hormônios regulares depois da menopausa. “Outros alimentos positivos são: peixes e castanhas, por serem ricos em ômega 3, que é anti-inflamatório e ajuda a proteger as células do cérebro, e as frutas e os legumes, que com suas substâncias antioxidantes colaboram para retardar o envelhecimento”, completa o cardiologista Dr. Carlos Suaide. Já a lista dos alimentos que se consumidos em excesso aumentam a idade real e os riscos de desenvolver doenças inclui frango com pele, carne vermelha, arroz e pão branco, produtos industrializados e ricos em gorduras;
  • Corte o sal: uma colher de café rasa de sal tem 400 mg de sódio. A mesma medida de orégano oferece 0,1 mg do mineral – o maior vilão da pressão alta e retenção de líquidos. Substituir os temperos industrializados por cebola, alho e limão é também uma forma inteligente de consumir antioxidantes – substâncias que evitam o envelhecimento;
  • Mantenha um plano de dieta para a vida toda: é fato que a partir dos 30 anos de idade o metabolismo de homens e mulheres vai ficando mais lento ano após ano. Pode haver diminuição da musculatura e aumento da gordura, mesmo sem ocorrer mudança no padrão alimentar. “Entre 40 e 60 anos perdemos aproximadamente 200 gramas de músculos e ganhamos 600 gramas de gordura por ano”, alerta o cardiologista Dr. Carlos Suaide;
  • Consuma suplementos de vitaminas: a vitamina B6 (encontrada em ovos, leite, aveia) é formidável, pois transforma a glicose em energia, além de prevenir a depressão e a ansiedade. Além disso, o trio de vitaminas C (laranja e limão), E (grãos integrais, amêndoas) e betacaroteno (cenoura, manga) e o mineral selênio (castanha-do-pará, salmão) são imbatíveis na luta contra os radicais livres, que causam o envelhecimento;
  • Tome um cálice de vinho tinto por dia: a bebida contém polifenóis, substância antioxidante que dificulta a ação das gorduras nas paredes dos vasos. Um trabalho brasileiro apresentado por especialistas do Instituto do Coração (InCor) de São Paulo, no último congresso Europeu de Cardiologia, provou que um cálice de vinho tinto (ou um copo de suco de uva natural) oferece mais um benefício em prol do coração: diminui em até 14% os índices de colesterol ruim (LDL). Do outro lado da recomendação quanto o assunto é álcool, porém, encontramos uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que provou que quem bebe demais, mesmo que socialmente, sofre danos no cérebro semelhantes ao que ocorrem no cérebro de alcoólatras hospitalizados. Por isso os médicos são categóricos quando afirmam que a medida de apenas um cálice de vinho deve ser rigorosamente seguida;
  • Beba água: beber, no mínimo, dois litros de água por dia melhora o humor e diminui o cansaço. Além disse, ajuda o cérebro a trabalhar melhor. Isso porque as reações químicas no organismo dependem da água para acontecer. Quem não tem costume de beber o precioso líquido sofre mais de pressão baixa, sonolência e até de pedras nos rins.

Cuide da mente

  • Medite para combater o estresse: viver sem estresse é uma premissa para a longevidade. E nada melhor do que a meditação para combater as tensões do sistema nervoso. A técnica altera o estado de consciência e libera endorfinas, que levam a um repouso mais profundo que o do sono. Ainda ajuda a prevenir doenças. O praticante reconhece o que o perturba e o que melhora sua qualidade de vida. Isso é importante porque um distúrbio físico pode acontecer por problemas emocionais;
  • Exercite o cérebro: depois dos 25 anos, gradativamente perdemos neurônios. Mas isso tem pouco efeito sobre o pensamento, pois o cérebro tem a capacidade de se transformar e se adaptar. É a teoria das sinapses (a comunicação entre os neurônios), nascida por volta de 1990, com a Sociedade Americana de Neurologia. Já se sabe que uma pessoa de 40 anos que coloca a cabeça para funcionar ativa a comunicação cerebral e pode ter a mesma capacidade intelectual dos 20 anos. “O importante é jamais parar de pensar. A receita são as atividades que exijam atenção e pensamento lógico: conversas instigantes, leituras e jogos de raciocínio, como xadrez”, explica o Dr. Carlos Suaide
  • Durma tranquilo: há 20 milhões de brasileiros com dificuldade para pegar no sono. E 70% deles tomam remédios para dormir. Os males causados pelas noites em claro são inúmeros: depressão, infarto, envelhecimento precoce da pele. Por isso, dormir mais também é viver melhor. O segredo de um sono tranquilo está associado à chamada higiene do sono. Consiste em criar bons hábitos: o quarto deve ser bem ventilado e silencioso e o ideal é estar na penumbra. Isso é necessário para que o corpo libere melatonina – hormônio do relaxamento. Outro cuidado é evitar estimulantes como café, chá-mate, refrigerantes e bebidas alcoólicas, ao anoitecer;
  • Tire férias uma vez por ano: dados de um estudo publicado no Jornal de Medicina Ocupacional – publicação americana – servem de alerta para as pessoas que nunca se desligam do trabalho. Os riscos de adoecer aumentam em 60%. Após duas temporadas sem férias, os compulsivos por trabalho produzem 50% menos do que são capazes, perdem a capacidade de concentração e da organização;
  • Tenha amigos e relacionamentos estáveis: as pessoas solitárias têm 60% mais chances de desenvolver demência na velhice – condição associada ao Mal de Alzheimer. É o que mostra um estudo de Centro de Pesquisa em Gerontologia de Estocolmo, na Suécia. Os pesquisadores também concluíram que, mais importante do que a quantidade das relações, é sua qualidade. Uma rede de relacionamentos rica fornece estímulos emocionais que previnem o envelhecimento cerebral. “Laços estáveis são fundamentais para alcançar a felicidade. A pessoa isolada não tem com quem se comparar ou desabafar. Seus problemas vão sempre parecer maiores do que são”, diz o psiquiatra Dr. Paolo Munhoz, de São Paulo;
  • Seja otimista: um trabalho realizado no Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que otimistas tendem a viver sete anos a mais que os pessimistas. “Ser positivo ajuda o corpo a produzir mais serotonina”, explica a psicóloga americana Becca Levy.

Cuide do corpo

  • Mantenha a pele hidratada e bem protegida: antes dos 30 anos, basta usar filtro solar (FPS acima de 15) para evitar o envelhecimento precoce. “A partir dos 30, recomendaram-se cremes à base de vitamina C, que combate os radicais livres”, orienta a dermatologista Dra. Viviane Ribeiro, de São Paulo. Sem falar no arsenal de substâncias para hidratação e renovação celular, com orientação de um especialista;
  • Não fume: não bastassem os danos aos órgãos vitais (causa câncer de pulmão, boca e faringe, além de infarto e enfisema), o cigarro predispõe ao envelhecimento da pele, já que retarda em até cinco vezes a renovação celular. Segundo o Dr. Michael Roizen, uma pessoa que fuma há dez anos pode somar à sua idade pelo menos cinco anos;
  • Faça caminhadas: um estudo da Escola de Medicina da Universidade da cidade de Osaka, no Japão, constatou benefícios concretos para as pessoas que costumam caminhar em vez de se locomoverem de carro até o trabalho, supermercado e outros lugares próximos. Os pesquisadores examinaram, durante um ano, 600 pessoas entre 20 a 45 anos e viram que aquelas que utilizavam trajetos a pé de mais de 35 minutos por dia apresentavam, em média 30% a menos de sobrepeso do que aquelas que faziam tudo de carro. E, com essa atitude, envelheciam com mais saúde e autonomia também;
  • Tenha uma boa postura: depois dos 40 anos de idade a ação da gravidade é impiedosa. Ela age como uma prensa na coluna vertebral. Um trabalho realizado pelo Instituto Philippe Souchard, na França, mostrou que à noite estamos mais baixos do que quando acordamos. Esse efeito, ocasionado pela ação da gravidade, porém, pode ser amenizado por meio da Reeducação Postural Global, a RPG. Com exercícios especiais e bem orientados é possível aumentar o espaço entre os discos da coluna e anular parte desse efeito;
  • Crie uma poupança muscular: manter um treinamento que privilegie o ganho de músculos é importantíssimo. Músculos fracos e contraídos fazem a coluna despencar para algum dos lados. Além disso, músculo pouco trabalhado é sinônimo de osso fraco também. Tanto que o médico Osen, diretor executivo do Centro de Estudos sobre osteoporose, em Boston, nos Estados Unidos, aconselha a prática regular de musculação para mulheres e homens em qualquer fase da vida para evitar fraturas na velhice;
  • Mantenha a vida sexual ativa: o sexo revitaliza o corpo, excita a mente, é um ótimo exercício físico, combate a sensação de irritabilidade e a ansiedade e ainda seria capaz de prevenir o envelhecimento. A relação sexual relaxa os parceiros e, se tiver sentimento, pode resultar em dobro de prazer.

Fonte: Delboni Auriemo – Medicina Diagnóstica

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!