Esquizofrenia pode acelerar o envelhecimento

A esquizofrenia é um transtorno mental ainda pouco conhecido, embora atinja cerca de 1% da população mundial. A doença afeta igualmente ambos os sexos, mas, nos homens, surge na faixa dos 15 anos de idade, enquanto nas mulheres geralmente aparece no início da vida adulta. A intervenção correta tende a colaborar para um curso benigno do transtorno.  Em um pesquisa inédita desenvolvida no Hospital das Clínicas de Porto Alegre da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (HCPA – UFRGS) foi  mostrado que pessoas com esquizofrenia tendem a apresentar um processo de envelhecimento biológico mais acelerado, reforçando a importância do diagnóstico e tratamento precoces. No estudo realizado entre 2010 e 2014 e publicado no importante período Schizopherenia Bulletin, os pesquisadores avaliaram os achados biológicos, cerebrais e de testes cognitivos de 112 voluntários, metade portadora de esquizofrenia e metade formada por indivíduos com hábitos de vida saudáveis e sem doença, que passaram por exames de sangue, ressonância magnética cerebral e avaliação neuropsicológica. “No sangue dos pacientes com esquizofrenia foram encontrados marcadores que são produtos da inflamação  que leva a um processo de envelhecimento mais rápido, como encurtamento dos telômeros (ponta do DNA, componente dos cromossomos), atrofia do córtex cerebral, que processa os pensamentos lógicos, e problemas na memória verbal”, explica a médica psiquiatra Clarissa Severino Gama, do Serviço de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e professora da UFRGS. A boa notícia é que a medicação correta diminui essa inflamação o que reforça a necessidade de diagnóstico precoce. Por isso, os adolescentes devem ser observados e encaminhados à avaliação psiquiátrica caso apresentem comportamento fora do esperado para a faixa etária. Além do fator idade, já é de conhecimento médico a associação da doença com o uso de maconha na adolescência. “Eventos perinatais, como demora no parto, e gripes durante a gestação também conferem risco à esquizofrenia, reforçando a importância do pré-natal”, alerta a médica.

Atenção

Os sintomas da esquizofrenia são divididos em três grupos. Os positivos são caracterizados por delírios e alucinações; os negativos quando não há reação emocional, mas há isolamento social; e os cognitivos, quando a pessoa perde a performance nos domínios da cognição. “São características que afetam a vida social, profissional e familiar”, ressalta a pesquisadora.

 

Fonte: Super Saudável

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!