Desvendando as Alergias

Mais de um terço da população mundial sofre dessa condição crônica, que causa espirros, coceiras e coriza frequentes. E a tendência é que esse número aumente ainda mais no futuro. Conheça os mitos e as verdades sobre o tema. As alergias podem surgir de uma hora para outra sem que o indivíduo saiba o que causou o problema. Em outros casos, a reação é tão súbita que o sujeito sabe identificar exatamente quem é o vilão. Ácaro, pólen, mofo, leite, ovo, picada de abelha, frutos do mar são alguns dos alérgenos que mais assombram quem tem sensibilidade a eles. Estima-se que mais de 30% da população sofra de rinite alérgica, a mais comum, enquanto 5% dos adultos e 8% das crianças tenham sensibilidade alimentar. A seguir, as respostas para dúvidas corriqueiras sobre as causas, os sintomas e o tratamento das alergias.

Espirros e coceiras são os sintomas de alergia mais comuns.

Verdade. Além desses dois sintomas, o nariz entupido e a coriza formam o quarteto que incomoda os alérgicos nos quatro cantos do mundo.

A maioria das alergias tem origem genética.

Verdade. Cerca de 70% das alergias têm origem genética. Uma pessoa que tem os pais com rinite e asma possui 70% de chance de ter as mesmas condições. Se apenas um dos pais é alérgico, esse índice cai para 40%.

Os pelos dos pets causam alergia.

Mito. Na verdade, a alergia é ao epitélio, isto é, à camada de células que reveste a pele dos animais domésticos. NO caso dos felinos, a saliva também pode desencadear reações alérgicas em humanos.

Maquiagem fora do prazo também.

Mito. Os componentes das maquiagens podem provocar reações alérgicas sim, estando dentro ou fora do prazo de validade ˗ no caso, claro, de você ser sensível a eles. Mas maquiagens fora do prazo de validade não causam irritação só porque passaram do período indicado para o uso. O que pode ocorrer nesses casos é uma contaminação dos produtos por fungos e bactérias. “A pessoa acredita que se trata de uma alergia, mas na verdade é uma infecção com sintomas semelhantes ao de uma reação alérgica, como inchaço local e coceira”, explica a alergista Alexandra Sayuri Watanabe, diretora científica da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

Não é possível diferenciar gripe, resfriado e uma crise alérgica.

Mito. As crises alérgicas geralmente causam coriza, coceira, obstrução nasal e espirros frequentes. Os resfriados e as gripes, por sua vez, podem desencadear esses mesmos sintomas, mas eles vêm acompanhados de mal-estar, irritação na garganta e febre. Apesar de ambas serem doenças virais, os resfriados são mais brandos que as gripes, que chegam a deixar o sujeito em casa, de repouso por mais tempo.

Leite e ovos são os alimentos que mais causam alergia.

Verdade. Algumas proteínas presentes nesses itens podem desencadear reações alérgicas, especialmente nas crianças. Nelas, leite e ovos são os alimentos alergênicos mais comuns; apesar disso, o leite materno é isento de tais proteínas, não oferecendo risco. Nos adultos, além desses, soma-se a soja, o trigo, os frutos do mar e o amendoim.

Alergia não tem cura.

Verdade. Para prevenir as crises, primeiro é preciso evitar entrar em contato com o que a desencadeia. Essa medida, porém, nem sempre é possível, como no caso dos ácaros e do pólen, invisíveis a olho nu. Nos casos de alergia a ácaro, é indicado manter os ambientes limpos, arejados e evitar objetos como almofadas, cortinas e tapetes. Em relação aos medicamentos, há os corticoides inalatórios e a imunoterapia para controlar a rinite e a asma alérgica.

Diagnóstico certeiro

Para parte da população que sofre dessa condição crônica, descobrir quais são os componentes que disparam as crises é uma tarefa árdua. Em geral, são pessoas que têm crises alérgicas frequentes nos mais variados ambientes ou situações. O teste ImmunoCAP ISAC é voltado para esses casos mais complexos. Em uma pequena amostra de soro, identifica 112 proteínas alergênicas presentes em 51 fontes. “É muito indicado para crianças com suspeita de alergias múltiplas porque é possível fazer o teste com apenas uma gota de sangue da ponta do dedo”, explica o Dr. Izidro Bendet, patologista clínico e virologista que integra o corpo clínico do laboratório. O ISAC identifica casos de alergia cruzada, nos quais uma única proteína presente em diferentes produtos ou alimentos dispara a reação exagerada da imunidade ˗ é o caso da luva de látex e da banana que têm uma proteína em comum, por exemplo.

 

Fonte: Revista Delboni Auriemo ˗ Medicina Diagnóstica

Add Comment

Olá,

Deixe seu e-mail para receber as melhores informações sobre alimentação, comportamento e saúde.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso!